sexta-feira, 16 de maio de 2014

Respeitem meus cabelos brancos


Nunca estive tão bem com meus cabelos como agora. Os fios brancos já podem ser notados! Desde criança sempre quis ser mais velha. Com 5 anos, sonhava ter 10. Adolescente queria ser mulher, quando mulher jovem torcia para ser mulher madura. Agora jovem mulher madura (isso existe?), quero ser sempre jovem mulher madura! 

Finalmente estou na pele que desejei desde o berço. Não acredito. Foi com alma de 37 anos que nasci. Agora me reconheço e me sinto confortável. Sempre achei que este dia chegaria, e não é que chegou mesmo?

Tá, o metabolismo não é mais o mesmo. Mas o conhecimento acumulado ao longo do percurso compensa.  Sabe que nem as rugas me incomodam? Gosto delas.

Mas sabe o que mais me encanta nesta época da vida? É a calma com que consigo resolver as coisas. Ok, às vezes a calma vai embora, mas ela me deixa na mão bem menos nos dias de hoje...  A capacidade de avaliar cenários de um dia para o outro também foi aperfeiçoada. Agora durmo com menos ansiedade e mais certeza de que um tête-à-tête com meu travesseiro irá clarear minha mente. 

A inquietude ainda faz parte de mim e, acredito que, sempre fará. Mas hoje não é mais ela que me domina. Eu já aprendi a domá-la e convivemos em paz e harmonia.

Nem tudo em mim está resolvido. Não mesmo! Mas esta parte agora está.


E viva o novo!

Um comentário:

Sonia disse...

Viva o novo!

Eu tinha certeza que esse dia chegaria...
a maturidade precisa de um tempo para despertar... Viva ela...