terça-feira, 8 de julho de 2014

Não é só a seleção brasileira, está todo mundo perdido



Pessoas, por favor, todo pai e mãe de primeira viagem tem certas dificuldades. Todos têm dúvidas, não sabem se atender imediatamente é melhor do que deixar chorar um pouquinho. Ou quando é hora de parar de insistir nas colheradas do mingau... Mas daí a não saber por que o filho de 1 ano e meio come só bala e chocolate, já é um pouquinho além da falta de prática básica, não acham? Quando me perguntam o que eu fiz para que meu filho fale tão direitinho, eu apenas deixo escapar: “falo português com ele desde que nasceu, o que mais ele poderia me dar de volta?”

Não me espanto com meus filhos sabendo o que podem e o que não podem comer. Recusando guloseimas fora de hora, pedindo permissão para fazer as coisas. Olhando no olho para conversar, pedindo desculpas quando fazem algo errado ou magoam alguém. Fazendo arte quando é pra fazer arte, ficando em silêncio numa cerimonia religiosa ou um evento solene.

Eles só copiam padrões. Comportam-se exatamente como veem as pessoas em volta (em sua maioria família) se comportar. Devolvem todo o respeito, educação e ritmo que recebem. Às vezes ficam muito irritados, furiosos, malcriados, como os adultos ao seu redor também ficam. Às vezes não conseguem conter uma emoção avassaladora, aí ganham colo para que possam suportar a avalanche. Afinal são crianças. Outras vezes são retirados do ambiente para que percebam, de fora, que seu comportamento ali estava inadequado.

Tenho uma fórmula mágica? Não!

Tenho certeza que estou fazendo o certo? Não!

Então como tenho um bom resultado? Simples respeito e amor. Quem respeita e ama aponta caminhos. Impede de comer bala e chocolate no lugar de arroz e feijão. Oferece chá e suco preparados na hora, ao invés de refrigerante e chá de caixinha. Não assiste porcaria na TV para não criar o hábito do filho consumir porcaria e achar que isso é lazer. Prepara a festa de aniversário em casa para colocar um pouquinho de sentimento em cada enfeite, em cada docinho, em cada guardanapo dobrado de um jeito diferente. E mostra que o mundo não está pronto, que podemos transformá-lo com o nosso toque, com a nossa alegria, com o nosso afeto!

Tenho um caminhão de coisas pra aprender na arte de educar filhos. Mas existem alguns princípios que eu aprendi com meus pais e que não me deixam navegar sem bússola. Vou enumerar alguns:
1)  Comprar tudo o que o filho vê não é amor.
2) Perguntar o que o filho quer comer não é amor.
3) Deixar que o filho vista o que bem entender não é amor.
4) Beijar o filho na boca não é amor. Dizer eu te amo toda hora também não.
5) Achar tudo o que o filho faz “lindo” não é amor.
6) Respeito é respeito desde que somos capazes de nos mantermos de pé. Abrir mão disso não é amor.
7) Infantilizar o mundo ao seu redor – da linguagem a hierarquia familiar – por conta de uma criança não é amor.
8) Preparar uma criança para ser presidente de uma multinacional aos 3 anos de idade não é amor.
9) Levar filho pequeno para o shopping para olhar vitrines não é amor.
10) Ser intransigente com todas as afirmações anteriores e não se permitir umas escapadinhas da rotina, umas deslizadas de conduta e um montão de pedidos de desculpa porque estamos aprendendo sempre também não é amor!

Amor de verdade vai fazer você errar sim, enquanto viver você estará errando. Mas acredito que, como pais e mães, temos que saber - ao menos - onde é o norte.

2 comentários:

Débora Paula disse...

Adorei o texto Paula. Diz tudo e mais um pouco...

Também não concordo com muitas coisas que tem relacionado aí, mas as vezes damos nossa escapadinha.

O que fazer quando sua filha de 2 anos e 5 meses, não quer mais dormir sozinha no quarto e só quer a cama da mamãe? Ainda, pede para o pai sair da cama "delas".....

Socorro!!!!

Polliana disse...

Sempre que vejo esse clipe www.youtube.com/watch?v=PuQPMnQfkZ8. Do Palavra cantada lembro da cena de vcs no consultório e o Artur pedindo àgua, enquanto a outra criança mandava ver na bolacha recheada. Desde pequeno ele sabe a
mãe que tem.
Delícia de blog.